quinta-feira, 8 de julho de 2010

Tamanha garganta rouca

"Sou tua como o luar é da lua como as pedras são da rua desde o dia em que eu nasci. Sou tua tão tua que me convenço que já nem a mim pertenço que sou um pouco de ti."
É desse fadinho que falo mas seria dele que viriam as palavras com que se sussurram às orelhas moucas? Nem lhe sei o autor. Loucos os que não querem ouvir ainda que roucas as gargantas que olham para o chão quando cantam dessas palavras juntas. Livrar-me dela seria mentir a mim. Ainda não tenho idade para mentir nem esconder, sou da fase dos que falam e dão sinais e apertam contra a parede, nada mais fica no escuro nem no mote. O sol é bom demais para se esconder e a música é para quem a ouvir.LR

6 comentários:

Anônimo disse...

Por quanto tempo o teatro para bebes ficará no Rio de Janeiro? Pretendo ir de SP só para levar meu bebe! Aguardo retorno.Obrigada
Carolina.
karununes@hotmail.com

Fulvio Ribeiro disse...

Olá...
Liliana.
Muito bom seu blog
Gostei muito
Parabéns
Grande Abraço.

aluisio martins disse...

"sou da fase dos que falam e dão sinais e apertam contra a parede, nada mais fica no escuro nem no mote"
Que saudade de de te ouvir perto, amiga. Suma não, te peço.
bj

Liliana Rosa disse...

Olá Carolina! Obrigada por me escrever!
Ficaremos em cartaz até ia 22 de Agosto no Teatro Cândido Mendes!
Aguardarei vocês!
Beijinhos e tudo de bom para você e sua família!
Liliana

Liliana Rosa disse...

Aluisio, meu querido!!!
Não sumi, não! Lhe escrevo em breve sobre Iracema, fique tranquilo!
Daqui a pouco irei até sua terra, não é?! Que alegria!!!

Liliana Rosa disse...

Obrigada Fulvio!
Seu blog é muito interessante também! Já o sigo rsrsrs
Beijinhos