quarta-feira, 9 de setembro de 2009

QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?


"Todos gostaríamos que as coisas se mantivessem tal como estão e evitar, na medida do possível, as mudanças, que costumam ser traumáticas. Infelizmente, as coisas que permanecem sempre inalteradas são poucas e tudo tende a fluir, a mudar. Essas mudanças chegam quando menos se espera. É possível que tenhamos ficado sem trabalho ou que comece a haver dificuldades e que nossos negócios estejam começando a sofrer uma crise. Talvez não tenha nada a ver com a área do trabalho ou dos negócios, e sim com a vida pessoal e familiar. Venham de onde vierem essas mudanças, é preciso saber enfrentá-las e de forma adulta solucionar os problemas da melhor forma possível, e para isso é preciso ter uma boa ferramenta. Pode-se considerar este livro como o instrumento que nos fazia falta para sairmos vitoriosos. É um livro com uma história bem pequena, podendo ser lido em menos de uma hora, e está escrito de uma forma clara, simples para que qualquer pessoa possa entendê-lo. É dividido em três partes. Na primeira, alguns antigos companheiros do instituto se reúnem e falam sobre as dificuldades que tiveram que passar ao longo dos anos em que não tiveram contato. Um deles resolve contar a história de ?Quem Roubou Meu Queijo??, para que lhes sirva de ajuda, tal como ocorreu com os empregados da empresa em que trabalhavam. A segunda parte é a própria história e termina com um epílogo em que os personagens da primeira parte comentam o conto e como podem aplicá-lo em suas vidas. A história é contada em forma de fábula de alguns ratos e algumas pessoas encerradas em um labirinto. Essa história não deve ser interpretada literalmente, mas a partir de alguns fatos, algumas atitudes, que nos trazem uma mensagem. E creio que esta é a forma correta, pois chega a transmitir a mensagem, a idéia, de forma clara, a um grande número de pessoas que não estariam dispostas a ler um manual de psicologia. Talvez porisso tenha sido um êxito editorial, pois fala de uma forma simples (e divertida) de perguntas sobre as quais todos nós tivemos que pensar em alguma época. Mas o livro não dá soluções diretas, quer dizer, não te diz precisamente o que fazer. Não te explica como tens que melhorar os problemas da tua empresa, como tens que solucionar os conflitos de casal, etc, mas apenas dá intuição de como deves fazê-lo. Se hás fracassado em algo, ele te diz que não te lamentes pelo que perdeu mas que te movas logo porque estás perdendo muitas novas oportunidades. O queijo dentro da história é esse algo que desejamos, seja uma boa situação no trabalho, uma casa, uma família, dinheiro, etc. O labirinto simboliza o entorno onde nos movemos. Os distintos personagens da história representam as diferentes atitudes que podemos tomar quando ?o queijo? desapareceu por qualquer motivo que seja. Podemos fazer como os ratinhos, que sem se preocuparem tanto com o motivo do desaparecimento do queijo vão em busca de outro melhor. Podemos tomar a atitude de uma das personagens que, apesar da hesitação inicial, busca outro queijo, enquanto seu companheiro não pára de lamentar-se e não faz nada para mudar a situação, apenas espera que seu queijo reapareça. É um livro que eu tinha parado em casa e que ontem decidi ler. Faz pouco tempo que fiquei desempregado e tentei buscar nesse livro alguma chave ou indicação que me pudesse ajudar na hora de enfrentar o meu iminente futuro. É possível que eu também tenha perdido o ?meu queijo?, mas isso não é motivo para que eu fique fechado em casa esperando que as coisas mudem por si mesmas. Daqui a poucas horas será um novo ano, e gostaria de enfrentá-lo de forma positiva, buscando meu ?novo queijo?. Quando comecei a ler esse livro, tive a certeza de que não iria perder nada, mas que se soubesse utilizá-lo teria nele uma fonte de idéias positivas. Se tu estás em uma situação parecida, recomendo-te a leitura." Extraído do site: http://www.netsaber.com/. Recomenda-se!

As Melhores músicas de sempre: Enjoy yourself by The Specials

Apesar de esquisitos, sem desntes, feios e maus eles são especiais e fazem boa música. Para ouvir e ser feliz: Enjoy Yourself by The Specials

As melhores músicas de sempre: Travelling light by Tindersticks


Assista e se emocione: Travelling light by Tindersticks

Dois anos d'O Cirquinho de Luísa

Nosso Teatro para Bebês faz hoje dois anos de estréia no Rio de Janeiro. Teve sempre suas lotações esgotadas e foi destaque no Festival de Teatro de Angra dos Reis, depois viajou por S.Paulo e Cuiabá. Volta ao Rio de Janeiro com muitas saudades dos bebês cariocas, a estréia está agendada para a última semana do mês das crianças, dia 24 de Outubro no Teatro Cândido Mendes em Ipanema!

Os três noves da sorte!

Segundo espirituosos, cristãos, evangélicos, ateus, democratas, sinceros, libertinos, mentirosos, artistas, sabichões, filósofos, diplomatas, hippies, economistas, videntes, padres, presidentes, visionários, entre outros, HOJE É O DIA.


Bom, para mim, em poucas horas já foi um dia de sorte, dormi maravilhosamente bem, acordei cedo com minha filha brincando feliz, recebi vários e-mails com respostas positivas, respondi aos e-mails, recomecei a escrever no blog...(o que não fazia desde que me dei conta que estou nas miras de Balzac). Balzac: Digamos que a vida se divide em antes de Balzac e depois de Balzac. Esse ano ainda não cumpri tudo o que planejei para o antes mas ainda tenho 11 meses pela frente e as enchada e o foicinho na mão para concretizar. É a fase das borboletas. Vejamos: Se conseguir uma manchita de coisas que me fassam ser feliz de hoje em diante, quando chegar lá, terei como recompensa um panal, sendo que de feixe em feixe de ganhos, cada escavada será uma arroba a mais para espalhar na casita onde poderei proteger com pó bem fino...Bom, acho que o leitor não entendeu nada, é uma espécie de linguagem da terrinha, mas não é assim tão importante decifrar, é tranquilo.

Interessa que hoje é mais um dia bom.